Reformas no hospital Azevedo Lima em Niterói estão paradas

 

hospital Azevedo LimaNão existe previsão para que obras necessárias no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, Região Metropolitana do Rio, saiam do papel. Com pouco mais de R$ 900 mil em caixa para investimentos em infraestrutura, a direção da unidade optou por deixar de lado importantes intervenções enquanto o governo estadual não quitar a dívida de R$ 45 milhões que tem com o hospital.

Na segunda-feira (3), acompanhado de outros parlamentares, o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jair Bittencourt (PP), esteve no hospital para fiscalizar as áreas internas da unidade de saúde.

“Dentro das condições dos hospitais do Estado do Rio, até que o hospital [Azevedo Lima] está bem. Tem uma administração boa, a apresentação da infraestrutura, do atendimento. A população atendida considera um bom hospital”, constatou Bittencourt.

Apesar dos elogios, o parlamentar enfatizou que melhorias na unidade são necessárias e destaca a precarização de dois andares do hospital, atualmente fechados. “Infelizmente, o Governo do Estado não está cumprindo com os repasses como deveria”, lamentou.

Segundo informações recebidas pela comissão, enfermarias de maternidade e clínica cirúrgica do hospital estão superlotadas, atendendo pacientes acima do limite de ocupação dos espaços. Outro problema atinge especificamente a Central de Material Esterilizado, considerada inadequada. Dois setores de emergência do hospital, inclusive, precisam de reformas.

No mesmo dia da inspeção, os parlamentares se reuniram com o presidente da organização social que administra o hospital (Instituto Sócrates Guanaes), André Guanaes. Os deputados afirmaram que o executivo chamou a situação da entidade de “vexatória”. Isso porque, segundo Guanaes, funcionários do hospital já chegaram a ficar dois meses sem receber.

Além disso, Guanaes afirmou aos deputados que, do acordado com o Governo do Rio a receber para investimento da reestruturação do Azevedo Lima – R$ 15 milhões por ano, só recebeu R$ 1,6 milhões.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.